21 de dezembro de 2009

Festas felizes



Boas festas e feliz ano novo são os desejos da direcção do Grupo de Dinamização Cultural de Mozelos.

23 de setembro de 2009

A lição do fogo

Cheguei mais cedo, como sempre, à sede do GDC.M, para a última reunião preparatória das comemorações do 25º aniversário e da festa da trigeminação cultural de Mozelos. Desci ao salão para preparar a reunião e encontrei um grande cartaz em cima da mesa com um texto impresso cujo título me saltou à vista: "A Lição do Fogo".

A minha primeira impressão foi de que se tratava de material de trabalho de algum dos diversos grupos que têm actividade regular no GDC.M. Como não pude deixar de ler o texto dada a dimensão das palavras conclui que se tratava de uma mensagem para ser lida por todos:

"Um membro de um determinado grupo, com o qual colaborava regularmente, sem nenhum aviso, deixou de participar nas suas actividades.

Após algumas semanas, o líder daquele grupo decidiu visitá-lo.

Era uma noite muito fria; o líder encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor.

Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas vindas ao líder, conduziu-o a uma cadeira perto da lareira e ficou quieto, esperando.

O líder acomodou-se confortavelmente no lugar indicado, mas não disse nada. No silêncio que se formara, apenas contemplava a dança das chamas em torno das achas de lenha que ardiam.

Ao cabo de alguns minutos, examinou as brasas que se formaram e cuidadosamente seleccionou uma delas, a mais incandescente de todas, empurrando-a para o lado. Voltou então a sentar-se, silencioso e imóvel.
O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e quieto.

Aos poucos a chamada da brasa solitária diminuía, até que houve um brilho momentâneo e o seu fogo apagou-se de vez. Em pouco tempo, o que era antes uma explosão de luz e calor, passaram a ser um negro, frio e morto pedaço de carvão, recoberto de uma espessa camada de fuligem acinzentada.

Nenhuma palavra fora dita desde o protocolar cumprimento inicial entre os dois amigos.

O líder, antes de se preparar para sair, pegou de novo no carvão frio e inútil, colocando-o de volta no meio da fogueira. Quase que de imediato ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor dos carvões ardentes em torno dele.

Quando o líder alcançou a porta para partir, o seu anfitrião disse:

- Obrigado pela visita e pelo belíssimo sermão. Vou voltar de novo ao convívio do Grupo. Deus o abençoe!

..."AOS MEMBROS DE UM GRUPO VALE A PENA LEMBRAR QUE FAZEM PARTE DA CHAMA, E QUE LONGE DO GRUPO PERDEM TODO O BRILHO.
AOS LÍDERES VALE A PENA LEMBRAR QUE ELES SÃO RESPONSÁVEIS POR MANTER ACESA A CHAMA DE CADA UM, E POR PROMOVER A UNIÃO ENTRE TODOS OS MEMBROS, PARA QUE O FOGO SEJA REALMENTE FORTE E DURADOURO"..."

Fiquei emocionado com esta forte mensagem que apareceu discreta e misteriosamente na sede do GDC em formato de um grande cartaz. Bem-haja quem teve esta ideia!

Alguns dias depois, no salão da Tuna Musical Mozelense, nas comemorações do 25º Aniversário do GDC.M, ao ver a casa cheia com quase todos os fundadores directores e amigos que contribuíram por manter acesa a chama do Grupo, não pude deixar de pensar nos que ficaram pelo caminho... nos que por comodismo, por egoísmo, por discordâncias fúteis ou simplesmente por orgulho foram abandonando o convívio do grupo... naqueles que nós fomos consentindo que se afastassem, que podem ter perdido a oportunidade de brilhar, mas que fizeram, fazem e farão falta para alimentar a chama do grupo, para que a sua existência seja realmente forte e duradoura.

Sou, atentamente, um director "feliz com lágrimas".

21 de setembro de 2009

25º Aniversário do GDC.M

As comemorações do 25º Aniversário do GDC.M realizaram-se no passado dia 20 de Setembro e tiveram como ponto alto o almoço comemorativo e a festa da trigeminação cultural de Mozelos:
Mozelos – Feira, Mozelos – Paredes de Coura e Mozelos – Viseu.






O acolhimento teve lugar às onze horas e trinta minutos o qual foi realizado na sede da Junta de Freguesia de Mozelos e foi presidido pela representante da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira: Dra. Cristina Tenreiro, que dirigiu uma saudação aos participantes e felicitou o GDC.M pelas suas bodas de prata.

No almoço foi servido às doze horas e trinta minutos na Quintinha de Seitela e estiveram presentes: fundadores, directores, alguns colaboradores mais activos do GDC.M, representantes de todas as colectividades de Mozelos, o Presidente da Junta de Freguesia de Mozelos, o Presidente da Federação das Colectividades de Cultura e Recreio do Concelho de Santa Maria da Feira, as delegações da AMOS Associação de Mozelos – Viseu e ACRDM Associação Cultural Recreativa e Desportiva de Mozelos – Paredes de Coura.

O espectáculo teve inicio às quinze horas e trinta minutos na Tuna Musical Mozelense e contou com a actuação da Orquestra e do Coro da Tuna no espectáculo de abertura, seguiu-se uma pequena actuação do Grupo Cantigas do Talégre, do Grupo de Hip Hop e da Escola de Taekwondo Raul Passos, finalmente, o espectáculo foi encerrado pelos grupos de cantares da AMOS e da ACRDM.

Foram atribuídos troféus comemorativos a todas as entidades presentes:
- Câmara Municipal de Santa Maria da Feira;
- Junta de Freguesia de Mozelos;
- Federação das Colectividades de Cultura e Recreio do Concelho de S. M. Feira;
- O Presidente da FNF – Fernando Ferreira;
- Tuna Musical Mozelense;
- Juventude Atlética Mozelense;
- Futebol Clube de Mozelos;
- Os Dragões de Mozelos;
- Associação Desportiva Estrelas de Regadas;
- Associação de Pais da Escola de Prime Mozelos;
- Associação de Pais da Escola do Sobral Mozelos;
- AMOS – Associação de Mozelos – Viseu;
- ACRDM – Associação Cultural, Recreativa e Desportiva de Mozelos – Paredes de Coura.

O GDC.M foi agraciado por lembranças dos Dragões de Mozelos, por um donativo da Junta de Freguesia de Mozelos, pela distinção de prata da Federação das Colectividades, pela saudação em prata da Associação de Pais da Escola do Sobral e um troféu muito especial com uma dedicatória pessoal de Fernando Ferreira.

O presidente do GDC.M agradeceu emocionado esta solidariedade associativa que ultrapassou a dimensão local para, graças às associações de Viseu e Paredes de Coura, passar à dimensão nacional.

15 de setembro de 2009

Festa de Convívio Tri-geminação Cultural

20 de setembro - 15h30
Salão da Tuna Musical Mozelense
Mozelos – S. M. Feira
Mozelos – Viseu
Mozelos – Paredes de Coura


Com atuação de:
Tuna Musical Mozelense
Cantigas do Talégre – GDC.M
Grupo de Hip Hop – GDC.M
AMOS – Associação de Mozelos – Viseu
Escola de Taekwondo Raul Passos
ACRDM – Paredes de Coura

2 de julho de 2009

GDC.M na Viagem Medieval 2009

Como já vai sendo habito o GDC.M vai participar mais um ano na Viagem Medieval em Terras de Santa Maria da Feira. Este ano, a colectividade vai ser responsável pela recriação histórica de um acampamento militar de cavaleiros da Ordem de Avis. Além da animação, o GDC.M costuma também ter uma taberna no evento em Santa Maria da Feira.

Segundo António Pinto, presidente da direcção da colectividade, este projecto envolve cerca de 60 pessoas, das quais 40 estão directamente relacionados com a recriação da Ordem de Avis.

26 de junho de 2009

Prémio Manuel Laranjeira 2009

O Prémio Manuel Laranjeira de 2009 vai ser atribuído no próximo dia 4 de Julho, pelas 15,30 horas, em Mozelos, no Salão Nobre da Junta de Freguesia, a Fernando Ferreira da Silva pela sua dedicação ao desenvolvimento cultural e associativo.

Criado em 1990 pelo GDC.M – Grupo de Dinamização Cultural de Mozelos, este prémio evocativo da memória deste importante escritor Mozelense, continua a eleger como principal objectivo a distinção de personalidades cuja importância do trabalho realizado ao serviço da cultura, do desporto, das artes e da acção social seja digno de mérito e do reconhecimento público.

O Prémio Manuel Laranjeira de 2009 vai para Argoncilhe, para Fernando Ferreira, que se distingue na área da cultura. Fernando Ferreira é uma figura de referência do associativismo local e nacional que teve um importantíssimo papel na criação e desenvolvimento de algumas das mais significativas associações locais. Foi fundador e dirigente da Federação das Colectividades de Cultura e Recreio do Concelho de Santa Maria da Feira, onde preside à mesa da assembleia-geral, é actualmente dirigente da Federação Nacional de Folclore e tem um vastíssimo curriculum que remonta à sua juventude, que se traduz numa vida inteira dedicada à valorização e dignificação da pessoa humana através do desenvolvimento cultural.

Fernando Ferreira foi um defensor intransigente da autonomia, diversidade e vitalidade do associativismo local, defendeu a criação e disseminação de novas associações que considerou fundamentais – em paralelo com as outras associações de média e grande dimensão – para a coesão social, assim como para a preservação da identidade local e do património colectivo.

Com esta distinção de mais uma personalidade que não é natural nem residente em Mozelos é encerrado um ciclo em que foram valorizadas personalidades das várias localidades circunvizinhas: Carlos Martins de Santa Maria de Lamas, Silvina Tavares de Paços de Brandão, Maria Fernandes de Lourosa, Antero Monteiro de S. Paio de Oleiros, Amaro Francisco de Nogueira da Regedoura.

Com esta distinção de Fernando Ferreira, de Argoncilhe, que pelas funções que desempenhou na Federação das Colectividades esteve também ligado ao processo de desenvolvimento do GDC em Mozelos, cuja presença nos momentos mais importantes e decisivos foram fundamentais para a consolidação e maturidade desta colectividade que celebra este ano o seu 25º Aniversário.

Esta iniciativa está integrada ainda na celebração do 20º Aniversário da elevação de Mozelos a Vila e tem o apoio do Governador Civil de Aveiro, do Instituto Português da Juventude, da Câmara Municipal de S. Mª da Feira e da Junta de Freguesia de Mozelos.