29 de junho de 2014

Prémio Manuel Laranjeira 2014

O Prémio Manuel Laranjeira 2014 vai ser atribuído no próximo sábado a Alfredo Henriques, pela sua dedicação à causa pública e à ação social.

A sessão pública de entrega do prémio terá lugar no próximo dia 5 de julho, pelas 15.30 horas, no salão nobre da Junta de Freguesia de Mozelos.

Trata-se de uma iniciativa do GDC.M – Grupo de Dinamização Cultural de Mozelos realizada em parceria com a Junta de Freguesia, que tem por objetivo distinguir pessoas pela sua dedicação à cultura, ao desporto, às artes ou ação social.

Este Prémio foi instituído em 1990 e faz das comemorações da elevação de Mozelos a vila, que este ano celebra o 25º aniversário.


É difícil justificar a importância deste prémio para alguém que foi recentemente agraciado com uma das mais importes condecorações nacionais, e mereceu também outras importantes homenagens de âmbito concelhio.

É um prémio simples, tal como os sentimentos da gratidão, da amizade e do reconhecimento.

É um orgulho para Mozelos, nas bodas de prata da elevação a Vila, prestar este reconhecimento público.

Este Prémio Manuel Laranjeira, já não é apenas uma distinção da associação juvenil que o promove, ou o resultado da vontade de alguns dirigentes associativos que o realizam, mas representa toda a comunidade Mozelenses que se sente grata por ter beneficiado da ação e da visão de desenvolvimento de Alfredo Henriques, que é bem visível nos equipamentos escolares, nas Infraestruturas culturais e desportivas, nos equipamentos de Apoio Social e de Habitação Social etc.

Antes de Alfredo Henriques assumir a condução dos destinos do município de Santa Maria da Feira, em Mozelos, em termos de equipamentos, só existiam três escolas primárias…

Em algumas dezenas de anos, com o apoio e o incentivo pessoal de Alfredo Henriques, foram construídos diversos equipamentos públicos e associativos: a sede da Junta de Freguesia e o centro escolar e a habitação social foram realizações bem-sucedidas, o auditório da Tuna Musical Mozelense, as sedes do GDC.M, dos “Dragões de Mozelos”, do Grupo Columbófilo e da Juventude Atlética Mozelense, as instalações do Centro de Apoio Social de Mozelos e do lar de idosos, o Centro Comunitário e a Comunidade Terapêutica da Associação Pelo Prazer de Viver… entre muitos outros projetos de desenvolvimento urbanístico, industrial, ambiental.

Mas a marca de Alfredo Henriques não ficou apenas nas obras, ficou também nas pessoas que lhe mereceram a confiança e nas organizações que lhe beneficiaram da sua atenção e do seu apoio.

Alfredo Henriques é o exemplo vivo de que “a política é a expressão mais elevada do amor e da caridade, quando se baseia no bem comum”, tal como referiu o Papa Francisco, numa entrevista televisiva recente.

Mas, mais do que uma brilhante carreira política, o percurso de Alfredo Henriques representa uma extraordinária referência de humanidade. Porque… “vivendo entre o povo foi virtuoso e nobre… vivendo entre reis, conservou a humildade…” para ele “inimigo ou amigo, o poderoso ou o pobre, sempre foram iguais à luz da eternidade…” Ele deu expressão real às palavras de Rudyard Kipling.

Podia ser membro do governo ou deputado, mas decidiu dar sentido à sua vida e cumprir o seu destino servindo a comunidade local.

Pelo seu exemplo de dedicação à causa pública, pela sua capacidade e generosidade, o nome de Alfredo de Oliveira Henriques foi recomendado, por votação unânime do júri, para ser distinguido em Mozelos com o Prémio Manuel Laranjeira, neste ano de 2014, associando assim o seu nome à história de Mozelos e a uma das maiores personalidades das Terras de Santa Maria: Manuel Laranjeira.

Sem comentários: