7 de novembro de 2016

Amplicação da Sede

A direção do GDC.M acredita que as obras de conclusão da sede da coletividade vão ter inicio já no próximo ano. O terreno que faltava já foi cedido pela Câmara Municipal da Feira, por escritura de constituição do direito de superfície por cinquenta anos, no dia sete de setembro do corrente ano, e o projeto de arquitetura vai dar entrada, nos serviços camarários, nos próximos dias para dar início ao processo de licenciamento da construção, de uma obra que vai permitir melhores condições de trabalho aos cerca de quinhentos jovens inscritos nas atividades culturais desportivas e recreativas desta associação juvenil de Mozelos.


Esta ampliação será constituída, na cave parcial, por uma garagem, uma arrecadação e uma cozinha, para uso interno, de apoio à logística alimentar das atividades. Existirá uma ligação direta aos sanitários e à sala de convívio existentes. No andar superior ao nível do R/C será construído um salão polivalente onde será possível a apresentação de pequenos espetáculos, sanitários e um átrio com um pequeno bar, também com ligação à entrada existente e às salas da direção.

Atualmente o Grupo de Dinamização Cultural, com cerca de 1 300 associados inscritos, dispõe apenas de uma sala ampla com cerca de cem metro quadrados para a realização das diversas atividades que vão desde a “Produção Artística” para a realização de projetos de música, teatro e dança; “Arte e Comunicação” para a realização de projetos na área das artes plásticas e artes digitais; “Cultura Popular” para a realização de espetáculos e festividades; “História Local” que é responsável pela atribuição do Prémio Manuel Laranjeira, edição de publicações e animação medieval; “Tempos Livres” com realização de atividades regulares de ginástica e danças contemporâneas.

Para financiar a construção da obra será formalizada uma candidatura ao IPDJ – Instituto Português do Desporto e Juventude, no âmbito do PAI – Programa de Apoio às Infraestruturas das Associações Juvenis. O GDCM conta ainda com outros apoios e donativos e com os recursos próprios da associação.

O GDCM pretende que com esta ampliação o edifício fique dotado das condições necessárias á realização de atividades que favoreçam a inclusão social, a partilha de valores culturais e a integração ativa da juventude no desenvolvimento local.

Recorde-se que o GDC Mozelos iniciou a construção da primeira fase de sede, há dezoito anos, em setembro de 98, na sequência da cedência do direito de superfície de uma parcela de terreno no lugar do Murado, em Mozelos, a qual foi aprovado em reunião ordinária de 04 de maio desse mesmo ano. O referido projeto de construção da sede e local de atividades do GDC Mozelos, que foi deferido por despacho de 13 de agosto de 1998 da Comissão de Obras e Loteamentos, foi faseado e contemplava apenas uma parte do edifício porque a Câmara não estava na posse de uma parcela de terreno necessário à construção da totalidade do edifício.

Sem comentários: